Diario libertario de lugo e galaxia

URGENTE: Aberta operaçom policial contra a solidariedade [Atualizada]

18/06/2014
10:00

http://www.galizalivre.org/sites/default/files/images/bruno%20ruival.preview.jpgFonte: Galiza Livre

O juíz levantou a incomunicaçom a Bruno ontem à tardinha, polo que pudo designar umha advogada. Depois de receber um aviso, a letrada viajou durante a noite a Madrid, já que se espera que o jovem militante passe a declarar durante a manhá de hoje.

Aliás, a meia-noite produziu-se um segundo registo do domicílio de Bruno, já sem a sua presença. Teriam requisado algum objeto mais.

Os meios de comunicaçom, isto é, a guarda civil, informam hoje de que o detido está acusado simplesmente de "ajudar a esconder-se" à sua amiga Maria Osório, com o que se confirma que se trata de umha operaçom de castigo contra a solidariedade.

19:13

Parece ser que o registo domiciliar se efetuou sem a presença de um advogado, e que durante o mesmo o detido nom pudo falar com a sua família. Só ao acabar pudo despedir-se, avisando de que telefonassem umha amiga.

Isto pode indicar que se lhe estám a aplicar as medidas de incomunicaçom previstas na Lei Anti-terrorista.

Se a versom de Europa Press se confirma, o delito de "encubrimento terrorista" é um disparate sem paliativos, polo seguinte motivo: Maria nom cometia nengum delito polo facto de nom se presentar voluntariamente na por da cadeia; umha suposta colaboraçom com esse nom-delito nom pode ser delito em nengum caso. O que realmente motivaria a detençom é a vontade policial de atemorizar os milhares de pessoas que se solidarizárom, publicamente e também materialmente, com umha perseguida política.

Defendamos a solidariedade! Nom à repressom!

19:05

Europa Press, é dizer a guarda civil, informa de que o militante detido está acusado de "encubrimento terrorista", o que liga à campanha de solidariedade com Maria Osório, detida precissamente há dous dias em Ponferrada. À falta de informaçons mais fiáveis, todo parece apontar a um operaçom contra a solidariedade com os independentistas retaliados, cujo crescimento durante os últimos meses por volta do caso de Maria teria causado preocupaçom entre os chefes da repressom.

18:38

Segundo informam pessoas do círculo íntimo do detido, o registo do domicílio familiar teria concluído por volta das 18:20. Estivo presente a mae do militante, e baleirárom-lhe o seu quarto, incautando-lhe absolutamente todo o que continha. Ele amossa-se forte e tranquilo.

17:40

Redaçom/ Um homem detido é o provisório saldo de umha operaçom da guarda civil contra "a contorna da Resistência Galega". A escassa informaçom disponível nestes momentos é a seguinte: a operaçom estava em andamento às cinco da tarde, com a ocupaçom policial mui ostentosa do bairro de Sam Láçaro, em Santiago de Compostela. Segundo a Rádio Galega, isto é, segundo a guarda civil, nom se acusaria o detido de pertencer à pressunta organizaçom armada "Resistência Galega", senom de ser parte da "contorna".

Polo que parece, o militante é um independentista colaborador ativo em vários movimentos sociais nacionalistas. Já trascendeu o seu nome (nom os apelidos), mas nom o publicamos por respeito à sua privacidade.

Sección: