Diario libertario de lugo e galaxia

Declaraçom de Xabi Omaña desmintindo a sua vinculaçom com o anarquismo a La Directa.

29/01/2014
19:23

Por um comentário anónimo na notícia publicada em Abordaxe com o cabeçalho: "Anarquistas??. Ao respeito da suposta vinculaçom anarquista dxs detidxs na última operaçom jurídico-policial" vimos de saber que Xabi Omaña, o detido em Lugo, fijo declaraçons em 27 de janeiro (só 2 dias despois de publicar-se a entrada antedita em Abordaxe) a "La Directa" (meio de comunicaçom em catalám de actualidade, investigaçom, debate e análise que quere ejercer a funçom social de denunciar os abusos e as injustiças e potenciar as alternativas) dando a sua verssom sobre a detençom, e que colamos (umha vez traduzido):

"Quando se dera o ataque contra a sede do Círculo de Empresários de Galicia eu estava em Canárias, o que podo demonstrar". O acusado denúncia que permaneceu 72 horas incomunicado e que sofrera privaçom de sonho. "As luzes permaneciam acessas dia e noite e, regularmente, acordavam-me com comentários como 'Ay, gallego, que te comerás un buen marrón'", assegura.

O detido incluso desminte a sua vinculaçom com o movimento anarquista e declara que nem sequer conhece ao terceiro arrestado (suponhemos que em referencia ao asturiano detido em Ciudad Real).

Vida social coarctada e ameaças anteriores

O moço assegura que, tra-la sua detençom, está tendo muitos problemas para atopar trabalho e um piso de aluguer. Além, explica que, dous meses antes das detençons, duas pessoas encarapuçadas assaltaram-no na noite dum venres e golpearom-no. Os assaltantes digeram-lhe que "últimamente se estaba dejando ver demasiado". A estes feitos hai que sumar-lhe as ameaças que, segundo el, recebera por parte de polícias uniformados que lhe teriam assegurado que "si lo detenían no sería por hacer pintadas, sino por algo más grave".

 

Fonte

Sección: